top of page
  • Foto do escritorMirna Lomanto

Divulgação: Brasil- Agricultura familiar e o combate à fome sob Lula



No dia 29 de março de 2023, o professor Dr. Thiago Lima, docente da Universidade Federal da Paraíba e coordenador do Grupo de Pesquisa Fome e Relações Internacionais, participou da Live intitulada: Brasil: Agricultura familiar e o combate à fome sob Lula. O debate, promovido pela Fundação alemã Heinrich-Böll, contou também com a participação de Emilia Jomalinis, Doutora em agricultura, desenvolvimento e sociedade, pesquisadora do tema soberania e segurança alimentar e nutricional e com a mediação de Julia Ziesche. A seguir disponibilizamos a descrição do evento que consta no canal do YouTube da Fundação Heinrich-Böll:

"O combate à fome e à pobreza: essa promessa marcou a campanha do Presidente do Brasil Lula da Silva, eleito no fim de outubro de 2022. A urgência desse combate é clara: milhões de brasileiros(as) não têm acesso a uma alimentação rica e saudável. O Brasil está desde 2018 de volta ao Mapa da Fome do Programa Mundial de Alimentação da ONU, embora o país produza alimentos suficientes e seja o terceiro maior exportador de alimentos, depois dos EUA e da China. Enquanto isso, o agronegócio tem visto aumentar suas exportações, mesmo em tempos de pandemia.

O fato é que certos grupos são mais afetados pela fome e pela insegurança alimentar do que outros: o gênero e a cor da pele estão entre os fatores que determinam um acesso seguro ou inseguro à alimentação. A concentração de grandes propriedades nas mãos de poucos também é parte do problema: a agricultura de pequenos(as) produtores tem relativamente pouca terra disponível para cultivo em comparação com os grandes proprietários cuja produção é orientada para a exportação. No entanto, pequenos(as) agricultores produzem cerca de 70 por cento dos alimentos para população brasileira. Assim, o seu fortalecimento é crucial para a luta contra a fome.

O novo governo Lula da Silva já deu um primeiro passo para promover a agricultura familiar e assim combater a fome no Brasil: o Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar conseguiu retomar seus trabalhos já em janeiro de 2023. O governo conservador-liberal de Temer (2016 – 2018) rebaixou o ministério a uma secretaria em 2016 e o governo Bolsonaro o retirou completamente do governo em 2019.

Que outros passos políticos de combate à fome podem ser esperados do novo governo nos próximos meses? Quais estratégias políticas seriam adequadas e quais são reivindicadas pelos atores e especialistas da sociedade civil? Qual é o papel da agroecologia, considerada um modelo alternativo para a produção de alimentos sustentáveis e saudáveis? O que precisa acontecer para utilizar ainda melhor seu potencial? "


O FomeRI convida a todos os interessados a assistirem a gravação do evento, disponível no link: https://www.youtube.com/watch?v=oPuJeRYdNs8 .



10 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page